Rupi Kaur muito além de 'Milk & Honey'


No começo do ano, o primeiro e até então único livro da Rupi Kaur foi lançado aqui no Brasil com a tradução oficial em português, e com o nome de Outros jeitos de usar a boca. A Rupi é uma escritora de 24 anos nascida na Índia que atualmente mora em Toronto, no Canadá, e que tem como principal marca da sua escrita poemas curtinhos e contemporâneos, o que fez adolescentes e pré-adultos (risos) se apaixonarem pelo livo.


Já falei em outro post que li o Milk & Honey (em inglês mesmo porque não achei o pdf em português) e também me encantei. Esse livro foi lançado de maneira independente em 2014, e ficou mais de 40 semanas seguidas na lista de best-sellers do New York Times, que teve mais de um milhão de cópias vendidas


Os poemas são intensos, mexem com as emoções e divididos em 4 capítulos: the hurting, the loving, the breaking e the healing (a dor, o amor, a ruptura e a cura), fazendo com que o livro seja basicamente um ciclo de um relacionamento (seja ele amoroso ou não). 


A Rupi é popularmente conhecida como #instapoet (o instagram dela, aliás, é uma gracinha), já que os poemas começaram a ser compartilhados pelo instagram. Os temas variam entre amor, perda, traumas, a vida como mulher, migração e revolução. Além disso, todas as ilustrações contidas no livro também são delas!


Seus poemas são todos escritos em letras minúsculas e sem nenhuma pontuação além do ponto final, e ela explicou que escreve assim para honrar sua cultura, a escrita gurmukhi.

A formação acadêmica da Rupi é em escrita profissional e em retórica pela Universidade de Waterloo, em Ontario. No site dela, também é possível ver algumas das fotos tiradas por ela, já que - pasmem - ela também é fotógrafa! Um dos principais trabalhos dela foi uma série fotográfica sobre a menstrução, que buscou bater de frente sobre os tabus a respeito desse tema.


Essa foto, inclusive, foi deletada duas vezes pelo Instagram. Depois disso, Kaur fez uma carta aberta ao Instagram pelo Facebook a respeito disso: 

"Obrigada, Instagram, por fornecer a resposta exata que meu trabalho foi criado para criticar. Vocês deletaram a minha foto duas vezes, afirmando que ia contra as diretrizes da comunidade. Eu não vou pedir desculpas por não alimentar o ego e orgulho de uma sociedade misógina que tem meu corpo em uma roupa íntima, mas não está de acordo com um pequeno vazamento quando suas páginas estão cheias de incontáveis fotos/contas onde mulheres (muitas vezes menores de idade) são objetificadas, pornificadas e tratadas como menos que humanas"

Esse texto foi compartilhado pelo mundo inteiro, e o Instagram se retratou e pediu desculpas por ter deletado a foto.


Em 3 de outubro, ela vai lançar sua nova coletânea de poemas: the sun and her flowers. Já tô ansiosa pra ler!

*créditos das fotos para Céu em versos e Jeniffer Geraldine

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.