Minha história com cabelo colorido

Eu sempre tive essa tendência a gostar dessas coisas que mãe não deixa. Quando eu tinha 10 anos - logo depois daquela fase de mechas loiras que todo mundo passa -, eu quis porque quis pintar o cabelo igual o da Roberta Pardo, de RBD (o dos primeiros episódios, assim). Minha mãe só me deixou pintar as pontas de vermelho. E sem descolorir. Ficou péssimo. Aí eu cortei ele curto e com franja. FICOU PIOR (época em que a gente começou com o CRASH THINGS).

Enquanto o trauma não passava, meu cabelo ia crescendo, e a única coisa que eu fazia era dar aquela cortadinha nas pontas. Eis que, lá por 2012, eu descolori a parte de baixo do cabelo e deixei platinado. Nem preciso falar que ficou péssimo, né?

Mas, hoje eu tô aqui pra falar da minha experiência com cabelos coloridos. Tudo começou em dezembro de 2013. Eu já não aguentava mais aquele cabelão sem graça, então eu descolori as pontas e fiz a maior cagada do mundo: passei azul de metileno.


Pra quem não sabe, azul de metileno é um produto que a gente usa nas aulas de laboratório de química. Tem gente que passa em machucado e, bom... Tem gente que passa no cabelo! HAHAHA. É praticamente a versão azul da violeta genciana. E, quando você usa qualquer um dos dois no cabelo, com o passar do tempo, os fios vão perdendo alguns nutrientes essenciais, e as pontas vão ficando bem ressecadas. Mas não foi bem isso que me fez odiar usar o azul de metileno, e sim o fato de que ele não pode entrar em contato com água (isso inclui banho, suor, sereno, piscina e todo o resto), muito menos com o shampoo.Quando me dei conta, já estava passando o produto em todas as lavagens pra retocar, e aí eu vi que era a hora de pensar em uma alternativa.


E foi aí que essa maravilha apareceu na minha vida, a linha da KERATON HARD COLORS. Era a melhor opção - vendia na minha cidade, tinha boa pigmentação, durava umas 10 lavagens e o preço era bem acessível (não paguei mais de 30 reais).

Em maio de 2014, no Lollapalooza, eu já tava de saco cheio do meu cabelo. Como ele tava bem ressecado e fraco, cometi o erro de falar pra cabeleireira "tirar o que tava ruim"... Nunca vou me perdoar. Com o cabelo um palmo e meio menor e muitas lágrimas depois, eu passei mais algumas horas descolorindo e pintei metade rosa e a outra metade azul. E ficou assim por um pouco mais de 2 meses.

Se você procura uma cor que dura MUITO no cabelo, não precisa descolorir muito e, quando desbotado não fica tão feio, recomendo o rosa.


Alguém disse Copa do Mundo? HAHAAHA. Como vocês já devem ter percebido, sou uma grande fã de mudanças, o que acabou me levando a cortar o meu cabelo (de novo) na altura do ombro. Coragem, né? HAHA. Qual foi a sua época preferida? Me contem nos comentários! Aliás, se tiverem alguma dúvida ou quiserem saber mais sobre os produtos que eu usei e etc, só me mandar nos comentários, no fb, no twitter ou em qualquer outro lugar! Beijocas!

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.